Em protesto motoristas abastecem R$0,50 e pedem Nota Fiscal

Para protestar contra o aumento de combustível um movimento vem abastecendo apenas 50 centavos de combustível, exigindo a nota fiscal e pagando com nota de R$100,00.

Por meio de um grupo criado pelo Whatsapp um movimento está protestado contra o aumento no preço dos combustíveis no Brasil e também contra a Petrobras. O movimento denominado de “Na Mesma Moeda”, teve início em Montenegro, município localizado na Região Metropolitana de Porto Alegre no Rio Grande do Sul, mas rapidamente se espelhou para outros municípios do país.
O protesto é realizado de uma forma um tanto quanto inusitada, motoristas abastecem seus veículos com R$ 0,50 (cinquenta centavos) e pedem para que seja gerado uma nota fiscal. O pagamento do combustível é feito utilizando-se de notas de R$50,00 ou R$100,00. Alguns clientes também tem apostado no pagamento através de Cartão de Crédito para dar mais prejuízo ao posto de combustível, pois segundo um dos participantes o encargo que o posto de combustível vai ter ao passar apenas cinquenta centavos no cartão será maior do que o valor gasto pelo combustível.

No Facebook já há grupos interessados em participar do Movimento Na Mesma Moeda. Em um grupo no site de relacionamentos há mais de 2.100 convidados para participar do evento.

Nem todos concordam
Não são todos os condutores que concordam com este tipo de protesto, há quem diga que ele apenas prejudica o dono do posto de combustível e não as distribuidoras. Mas a ideia do protesto segundo os organizadores é não cruzar os braços para o aumento, a partir do momento que mais pessoas adotarem a prática do movimento a alta do combustível vai ter mais visibilidade na mídia, podendo inclusive contribuir para a diminuição do preço do litro de combustível.

É com protestos que se consegue muita coisa, em 2013 por exemplo o Brasil foi tomado por uma onde de protestos contra o aumento da passagem de ônibus, naquele momento o ato surtiu efeito, tanto que diversos municípios do país anunciaram a diminuição ou congelamento da tarifa.

O Brasil é um grande produtor de petróleo, tendo uma das mais importantes petrolíferas do mundo, a Petrobras, tanto que somos quase que autossuficiente em petróleo e considerados exemplos quando o assunto é combustível através da cana de açúcar. Porém quase 60% do litro de combustível é imposto (57,13%), além disso existe o custo do transporte, que é elevadíssimo devido a condições das rodovias, pedágios, etc. Segundo especialistas, o combustível vendido no Brasil é até 60% mais caro do que o vendido em outros países.


0 comentários:
Postar um comentário