Pontuação Score pode dificultar crédito ao consumidor

No ato da aquisição de um Cartão de Crédito o consumidor é submetido a diversas análises de crédito e de risco, tais ações são necessárias para a proteção da administradora, já que ela concederá ao cliente crédito. Hoje falaremos sobre uma ferramenta de análise de crédito ainda pouco conhecida, trata-se do Crédito Score, ele é utilizado pela maioria das empresas, administradoras e bancos, através dele é possível consultar a pontuação de crédito de um determinado consumidor, entenda como funciona.



O Score de Crédito é disponibilizado pelas empresas de proteção ao crédito (Serasa, SCPC, Boa Vista, etc), por meio dele é atribuída uma pontuação para cada consumidor, essa pontuação vai de 0 a 1000 (de zero a mil), quanto mais próximo de mil, melhor é o crédito do consumidor no mercado, pois entende-se que a probabilidade dele se tornar inadimplente é menor.

A partir da pontuação a ferramenta chega a uma frase parecida com essa:

O consumidor possui pontuação X, partindo desse princípio ele apresenta X% de probabilidade de se tornar inadimplente no período de um ano. A cada 100 documentos com o mesmo comportamento de referência de crédito, X poderão se tornar inadimplentes em um horizonte de 12 meses.


Quanto mais próximo de mil melhor a pontuação do consumidor. Se o score for próximo de zero o consumidor poderá encontrar dificuldades na obtenção de crédito, isso porque ele é visto como um perfil de risco.

É importante esclarecer que os pontos atribuídos ao Crédito Score não se tratam de um cadastro de restrição, trata-se apenas de uma ferramenta de análise de risco desenvolvido pelos órgãos de proteção ao crédito. O banco, financeira, administradora ou empresa que o utiliza tem autonomia para conceder ou não crédito ao consumidor, independente da pontuação atribuída no Score.

A legalidade dessa ferramenta de análise de crédito ainda é bastante discutida, tanto é que no estado do Rio Grande do Sul uma empresa chegou a suspender a ferramenta devido a uma verdadeira “enxurrada” de processos judiais de pessoas contrárias ao sistema de pontuação.

O grande problema é que não se sabe exatamente como as empresas de crédito atribuem a pontuação a cada consumidor. O que se sabe é que utilizam-se pagamentos realizados e demais créditos aprovados, porém partindo desse princípio uma pessoa endividada poderá obter mais crédito do que uma que não está acostumada a comprar a prazo, pois ela já possui “crédito na praça”.

0 comentários:
Postar um comentário