Tecnologia dispensa dados do Cartão de Crédito em compras online

O pagamento de compras com o Cartão de Crédito na internet gera uma grande inconveniência para o consumidor no que se refere a segurança, isso porque a maioria dos cartões são fraudados por meio de compras realizadas na internet, o fraudador descobre os dados impresso no cartão e utiliza-os em compras virtuais. Para comprar online basta que o fraudador tenha acesso as seguintes informações: número do cartão, data de validade e código de segurança. Então por essa razão o dinheiro de plástico se torna inseguro, pois qualquer pessoa que tenha tido contato com o cartão poderá anotar ou fotografar, utilizando esses dados em compras fraudulentas na internet.
Tecnologia será semelhante ao Token Bancário, gerará número virtual para uma única utilização, protegendo as informações do Cartão de Crédito principal (imagem: pixabay)


A empresa franco-holandesa, Gemalto, está negociando com os bancos brasileiros uma tecnologia que tem o objetivo de pôr fim a essa inconveniência que causa prejuízos milionários as administradoras. Por meio da "Tokenização" (geração aleatória de números de segurança) a empresa evitará que as informações possam ser utilizadas, a ideia é que cada cliente tenha um Token – que poderá ser físico ou virtual no celular – ele gerará um número aleatoriamente para utilizar em compras online.

Cartões virtuais por Token

O número do cartão virtual será gerado pelo Token só poderá ser utilizado uma única vez, com isso o fraudador não poderá reutilizar os dados do cliente caso as informações impressas no cartão físico sejam obtidas. A ideia é que o cliente só consiga realizar uma compra online através dos dados de um cartão virtual – que será como um espelho do cartão de crédito principal – entretanto ele poderá ser utilizado apenas em uma única transação.

Muitas vezes o cliente utiliza o cartão de crédito apenas para comprar em sites confiáveis. Porém mesmo os sites mais conhecidos estão sucetíveis ao risco de fraude, visto que se o banco de dados não estiver bem protegido, fraudadores podem obter acesso as suas informações. Não é raro empresas serem vítimas de ataques cibernéticos, com isso o consumidor pode ter suas informações financeiras expostas na rede.

A ideia é proteger o Cartão de Crédito principal, uma vez que a tecnologia de chip dificulta a clonagem, então o plástico físico deverá ser utilizado apenas em transações presenciais. Caso o consumidor queira comprar online deverá gerar um cartão virtual através de um dispositivo semelhante a um token bancário, que gera números aleatórios e que podem ser utilizados apenas uma única vez.

A expectativa da empresa é que um banco brasileiro seja associado até o final do ano. O token poderá ser físico ou então cadastrado por meio de um aplicativo para smartphones (como já acontece hoje com as chaves de segurança dos bancos).

0 comentários:
Postar um comentário