Juros do cartão de crédito chega a 400% ao ano

O brasileiro precisa atentar-se ao uso dos cartões de crédito, isso porque a taxa de juros do crédito rotativo atingiu um patamar próximo a 400% ao ano, algo capaz de transformar qualquer simples dívida em uma verdadeira bola de neve. Para se ter uma ideia, o crédito rotativo do cartão de crédito – modalidade quando o cliente faz o pagamento mínimo, parcela a fatura, realiza um saque ou atrasa o pagamento da fatura – atingiu astronômicos 395,32% ao ano. O que dá um aumento de 23,2 % em relação ao mesmo período do mês passado.


Especialistas alertam que com o aumento da taxa de juros pode ocorrer um aumento considerável no número de inadimplentes, consequentemente o aumento da taxa de desemprego devido a crise financeira que o país vêm enfrentando pode agravar a situação.

O chefe do Departamento Financeiro do Banco Central do Brasil (BCB), Túlio Maciel, alertou que a inadimplência no rotativo estava a 35,5%, esse mês a taxa subiu para 37%, ou seja, 37% das pessoas que entram no crédito rotativo do cartão de crédito acabam não conseguindo saldar suas dívidas e vão parar no cadastro de inadimplência do SCPC ou Serasa, tal fato se deve principalmente a elevação da taxa de juros.

Outro grande problema é que a maioria dos consumidores desconhece os perigos do “Crédito Rotativo” do Cartão de Crédito, muitos nem sabem qual a taxa de juros cobrada pela sua administradora, consequentemente acabam sendo pegos de surpresa quando contraem uma dívida através dessa modalidade.

Sempre que o cliente atrasa a fatura, paga o valor mínimo ou realiza um saque utilizando o limite do cartão de crédito ele está automaticamente financiando suas dívidas através do Crédito Rotativo. A taxa de juros média é de 400% ao mês, contudo, há cartões que chegam a cobrar incríveis 800% ao ano.

O cartão de crédito pode sim ser um grande aliado, contudo, ele é responsável pela dívida da maioria dos inadimplentes. Por isso o ideal é fazer uso do dinheiro de plástico com consciência, nunca gaste mais do que você pode pagar, se possível faça um monitoramento de suas finanças através de aplicativos (GuiaBolso) ou então por meio de uma planilha no excel.

Outro cuidado é com relação as compras parceladas, alguns consumidores saem parcelando todas as suas compras e quando recebem a fatura acabam se assustando com a somatório de tudo que foi gasto no período.

0 comentários:
Postar um comentário