Entrega do IRPF 2017 vai de 03 de Março a 28 de Abril

A Receita Federal do Brasil (RFB) divulgou o cronograma de entrega do Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF) 2017 ano-base 2016, pelo cronograma as declarações poderão ser enviadas a partir do dia 03 de Março de 2017 e vão até o dia 28 de Abril. O Programa Gerador da Declaração do Imposto de Renda Pessoa Física de 2017 será liberado nesta quinta-feira dia 23 de Fevereiro.


O contribuinte que quiser receber a restituição do imposto de renda – se tiver direito – nos primeiros lotes deve preparar a declaração logo nos primeiros dias. Caso o documento esteja sem erros, omissões ou inconsistência, receberá mais cedo a restituição que começa a ser paga de Julho a Dezembro de 2017.

Cronograma do IRPF 2017

  • Dia 23 de Fevereiro de 2017 – liberação do download do Programa Gerador da Declaração do Imposto de Renda Pessoa Física 2017 para todos os sistemas operacionais, inclusive celulares e tablets.
  • Dia 03 de Março de 2017 às 8 h da manhã (pelo horário de Brasília) – liberação da entrega (envio) do Imposto de Renda Pessoa Física exercício 2017 – ano-base 2016.
  • Dia 28 de Abril de 2017 – Último dia para a entrega do Imposto de Renda Pessoa Física sem multa.


Quanto mais tempo o contribuinte demorar para entregar o IRPF, mais tempo demorará para receber a restituição do Imposto de Renda. Mas, idosos, deficientes físicos e portadores de doenças graves têm prioridade para receber a restituição do IRPF, mesmo que entregue a declaração no último dia.

O Brasil é um dos países com a maior carga tributária do mundo. O imposto de renda, em si, não possui uma das maiores alíquotas, mais o valor embutido em cada produto é absurdo, no final pagamentos mais impostos do que os países desenvolvidos. Esse fator somado a incidência de IRPF e a não correção da tabela do Imposto de Renda, torna o país com o menor custo-benefício do mundo, o brasileiro paga muito imposto mas não recebe – em sua maioria – serviços de qualidade. O que é revoltante, fruto de uma política corrupta e da má administração do dinheiro público!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Leia também